3.3.11
Camélias
brancas e cor-de-rosa
e um rosa mais clarinho
e pétalas pelo chão
canteiros de amores-perfeitos de muitas cores
um arbusto coberto de rosa
e flores que não sei o nome
e mais canteiros: em forma de cogumelo; verde: e outro cheio de rosas
arbustos moldados em forma de letras
e a relva
verde e cintilante ao sol
e pontinhos brancos; que fazem manchas de luz no meio do manto verde
e o céu tão azul que logo me faz lembrar Caetano
e o céu dum azul celeste celestial...

2 comentários:

tinta permanente disse...

Foram acasos (se os acasos têm nome ou razão...), mas, a verdade, é que me fui embasbacando, ora aqui, ou 'daqui até mil cento e oitenta', perto ou longe dos 'origami' ou das artes da minha mãe'...
Esteticamente soberbo, especialmente em toda a bordadura minimalista que deixa transparecer um sentido estético perfeito!
Parabéns!

tintapermanente
ou no Arco da Velha, no Facebook.

Marta Figueroa disse...

obrigada! :D